Shavuot – Este ano 7 de Sivan 5775 – 24 e 25 de maio, 2015

fYVq3726446_thumb[2]

Atenção:

Acendimento para as velas de Shavuot

A véspera de Shavuot este ano (2015) será dia 23 de maio, Shabat. Antes de acender as velas no horário indicado para a sua cidade, lembre-se de deixar uma chama ou vela votiva pré acesa na sexta-feira . Como há a proibição de fazer fogo no dia de Yom Tov e lembrando que você terá que acender novamente as velas no segundo dia de Shavuot, deverá fazê-lo transferindo o fogo da vela votiva ou desta chama, já que existe a permissão de manusear o fogo, mas não de criá-lo, riscando o fósforo. No segundo dia,23 e 24 de Maio, acenda as velas somente após o completo anoitecer (após 18h05 em S. Paulo).

Acenda as velas de Shavuot às 18h05 (S. Paulo) recitando as seguintes bênçãos:

1. Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Yom Tov.

2. Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, shehecheyánu vekiyemánu vehiguiánu lizman hazê.

SHAVUOT

O que é Shavuot?

Shavuot é o dia da outorga da Torá. Segundo dos três maiores Dias Festivos (Pêssach é o primeiro e Sucot o terceiro).

A palavra Shavuot significa “semanas”: assinala a compleição das sete semanas entre Pêssach e Shavuot (o período do ômer), durante o qual o povo judeu preparou-se para a Outorga da Torá. Durante este tempo, purificou-se das cicatrizes da escravidão e tornou-se uma nação sagrada, pronta a entrar em uma aliança eterna com D’us.

Nomes adicionais

Shavuot é também chamada de Atsêret, que significa a Compleição, porque juntamente com Pêssach, completa uma unidade. Ganhamos nossa liberdade em Pêssach a fim de recebermos a Torá em Shavuot.

Outro nome para Shavuot é Yom Habicurim, ou o Dia dos Primeiros Frutos. Numa expressão de agradecimento a D’us, começando em Shavuot, cada fazendeiro na terra de Israel levava ao Templo Sagrado uma oferenda do primeiro trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e tâmaras que cresciam no campo.

Shavuot é também chamado Chag Hacatsir, a Festa da Colheita, porque o trigo, o último dos grãos a ficar pronto para ser cortado, era colhido nesta época do ano.

A Outorga da Torá

A Torá foi outorgada por D’us ao povo judeu no Monte Sinai no ano 2448.
A revelação de D’us perante milhões de testemunhas atesta a verdade da Torá. Nunca houve outra cena antiga com tantas testemunhas e nenhum fato histórico nestas dimensões, transmitido de geração em geração sem interrupção. Este evento espiritual de longo alcance atingiu a essência da alma judia daquele tempo e para sempre. Nossos sábios a compararam ao casamento de D’us com o povo judeu. Todos os anos, neste dia, renovamos nossa aceitação do presente de D’us.

O que é a Torá?

A Torá é composta de duas partes: a Lei Escrita e a Lei Oral. A Torá escrita contém os Cinco Livros de Moshê, os Profetas e os Escritos. Juntamente com a Torá Escrita, Moshê recebeu também a Lei Oral, que explica e esclarece a Lei Escrita. Foi transmitida oralmente de geração a geração e finalmente transcrita no Talmud e Midrash.

A palavra “Torá” significa instrução ou orientação. A palavra “mitsvá” significa tanto mandamento como conexão. Há 613 mandamentos. Os positivos (Faça), totalizando 248, são equivalentes ao número de órgãos no corpo humano. Os 365 negativos (não faça) são equivalentes ao número de vasos sanguíneos no corpo humano).

Através do estudo de Torá e cumprimento das mitsvot conectamos a nós e ao ambiente a D’us. O propósito de D’us ao criar o mundo é para que santifiquemos toda a Criação, imbuindo-a de santidade e espiritualidade.

Por que a Torá foi outorgada no Monte Sinai, no meio de um deserto?

A Torá foi outorgada em um local público sem proprietário para que nenhuma nação do mundo declarasse que não têm uma porção nela. Qualquer povo que a deseje aceitar é bem vindo a fazê-lo. Além disto, o Monte Sinai nos ensina a ter humildade, pois era a mais humilde de todas as montanhas.

O papel dos filhos

Nossos sábios relatam que, antes de D’us outorgar a Torá ao Seu povo, Ele pediu fiadores. Os judeus fizeram uma série de sugestões, todas rejeitadas por D’us, até que declararam: “Nossos filhos serão os fiadores de que o povo judeu guardará a Torá”. D’us os aceitou imediatamente e concordou em dar a Torá.

Como comemorar

As atividades proibidas no Shabat também o são em Shavuot, com exceção de carregar num domínio público e cozinhar (se for utilizado fogo de uma chama acesa desde a véspera).
• Em Shavuot os tefilin não são colocados

Adornando a casa com folhagens e flores

Em Shavuot costuma-se enfeitar a casa e a sinagoga com frutas, flores e folhagens. O motivo disso é que na época do Templo Sagrado, os primeiros frutos da colheita eram oferecidos em Shavuot. Nossos Sábios relatam também que, embora o Monte Sinai se localizasse em um deserto, quando a Torá foi outorgada a montanha floresceu e muitas flores brotaram.

Estudando na noite de Shavuot

Na primeira noite de Shavuot os judeus de todo o mundo cumprem o costume milenar de dedicar toda uma noite ao estudo de Torá. A tradição judaica relata que D’us apareceu no Monte Sinai ao nascer do dia para pronunciar os Dez Mandamentos, mas o povo não se levantou cedo. Foi necessário que D’us os despertasse. Para retificar esta falha, os homens permanecem acordados na primeira noite de Shavuot recitando passagens da Torá.

Véspera de Shavuot – Este ano – Shabat 23/5/2015

Domingo, 24/5/2015
1º dia de Shavuot

Os Dez Mandamentos

Shavuot é o dia no qual celebramos a grande revelação da Outorga da Torá no Monte Sinai, no ano 2448. As almas de todos os judeus de todos os tempos juntaram-se para ouvir os Dez Mandamentos, transmitidos pelo próprio D’us.

Em Shavuot, na realidade, D’us está nos dando novamente a Torá. Por isso, o Rebe conclamou que todo judeu, homem, mulher, e especialmente crianças (até mesmo bebês recém-nascidos) devem fazer todo o esforço para estarem presentes numa sinagoga durante a leitura dos Dez Mandamentos.

O Livro de Ruth

Em muitas sinagogas lê-se o Livro de Ruth no segundo dia de Shavuot. Há vários motivos para este costume:

A – Shavuot é a data de nascimento e yahrzeit (dia de falecimento) do Rei David, e o Livro de Ruth registra sua ancestralidade. Ruth e seu marido Boaz foram os bisavós do Rei David.

B – As cenas de colheita, descritas no Livro de Ruth, são apropriadas ao Festival da Colheita.

C – Ruth foi uma convertida sincera que abraçou o judaísmo de todo o coração. Em Shavuot, todos os judeus foram como convertidos, tendo aceitado a Torá e todos seus preceitos.

Refeição de leite

No almoço, após o kidush, faça uma refeição festiva de laticínios. Espere no mínimo1h de intervalo para realizar uma refeição de carne.

•Antes da refeição festiva da noite, recite o kidush de Yom Tov.

Segunda-feira 25/5/2015
2º dia de Shavuot

Yizcor

Recita-se Yizcor em memória de entes queridos falecidos.

Antes da refeição festiva, recite o kidush de Yom Tov.

Shavuot termina às 18h10 (em S. Paulo)

Fonte: (Chabad.or.br)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s